Estima-se que todos os anos aproximadamente 70 milhões de tubarões são mortos pela prática desumana conhecida como “Shark Finning” que consiste exclusivamente na remoção da barbatana do tubarão seguido da devolução do animal ainda vivo ao mar. Após a retirada de suas barbatanas, o animal ainda agonizando é jogado ao mar e, sem nadadeiras, afunda lentamente até a morte. Os predadores utilizam o espinhel, uma linha com quilômetros de extensão e com cerca de 1600 anzóis para fisgar os tubarões, mas acontece que, além dos tubarões, outros animais, como tartarugas acabam sendo pegos também. Essa crueldade ocorre em alto mar e os barcos só transportam as barbatanas dos tubarões, uma vez que sua carne é considerada de baixo valor e não compensa ser transportada. Os tubarões mais procurados são o tubarão martelo que possui barbatanas maiores, dependendo da espécie, e o tubarão azul.É uma pesca descontrolada e insustentável que está dizimando a população de tubarões em todo o mundo e desequilibrando o ecossistema marinho.

O vídeo a seguir, produzido na Costa Rica, mostra um pouco dessa realidade:

É importante lembrar que os tubarões são grandes predadores e por isso estão no topo da cadeia alimentar, mantendo equilibrada a população de inúmeras espécies e preservando os ecossistemas oceânicos. Os impactos causados pela morte em larga escala desses animais são muitos, como por exemplo, a diminuição de algas marinhas, recifes de corais e o descontrole populacional e qualidade genética de várias espécies marinhas, pois, como predadores, alimentam-se de animais mortos, doentes e menos hábeis.

A barbárie do finning é praticada há anos para abastecer um mercado lucrativo, principalmente o Asiático, de barbatanas de tubarões, que são utilizadas, sobretudo, na gastronomia, tendo como prato mais comum a sopa de barbatanas. A sopa é considerada uma receita milenar e, principalmente, símbolo de riqueza e status. A China sempre foi considerada um dos maiores mercados consumidores de barbatanas, sendo Hong Kong conhecida como a “capital da barbatana de tubarão”.

shrkfs

shrk

Barbatanas secando em telhado de prédio em Hong Kong

Apesar do principal mercado consumidor ser a Ásia, o problema é mundial. Embora muitos países tenham proibido a venda do produto, algumas leis ainda permitem a captura e venda das barbatanas a países onde os mercados são legais.

Porém ainda há uma esperança para que essa realidade mude. Apesar de ter um mercado consumidor significativo de sopa de barbatana, na China, o consumo vem diminuindo em função de alguns acontecimentos. Em 2006, a ONG WildAid liderou uma campanha de conscientização pública contra a sopa de tubarão. O jogador de basquete chinês Yao Ming foi o representante dessa campanha educativa, veja o vídeo no link

 

Além disso, em 2013, como parte de sua campanha contra a corrupção e extravagância, a China proibiu sopa de barbatanas em todos os banquetes oficiais do governo. Essa atitude acabou sendo favorável para a diminuição desse terrível mercado. Agora em 2017, a Air China proibiu o transporte de barbatanas de tubarões em seus aviões. A ONG WildAid vem pressionando Hong Kong para acabar com esse comércio. Dessa forma, o grande mercado consumidor de barbatanas na China está perdendo espaço. Organizações não governamentais vêm lutando contra essa terrível pesca. E, alguns países, já estão fazendo a sua parte, mas ainda há muito o que fazer para proibir de vez essa prática destruidora e salvar os tubarões.

Exemplos de países que já iniciaram planos para combater essa crueldade:

Nova Zelândia: A prática do finning foi proibida em 2014.

Brasil – A Portaria do Ibama nº 121/1998 proíbe a rejeição ao mar das carcaças de tubarões dos quais tenham sido removidas as barbatanas e somente permite o transporte a bordo ou o desembarque de barbatanas em proporção equivalente ao peso das carcaças retidas ou desembarcadas. Para efeito de comprovação dessa proporcionalidade, o peso total das barbatanas não pode exceder a 5% do peso total das carcaças. Nos desembarques, todas as carcaças e barbatanas de tubarões devem ser pesadas. No final de 2012, o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella assinou uma Instrução Normativa Interministerial conjunta com o Ministério do Meio Ambiente proibindo no Brasil a pesca de tubarões e raias apenas para o comércio de barbatana. A instrução determinava que quem pescasse tubarão teria que trazer a barbatana presa ao corpo. Apesar desses esforços, sabemos que no Brasil a fiscalização deixa a desejar.

Estados Unidos – O Congresso americano aprovou em dezembro de 2010 uma nova legislação exigindo que todos os tubarões capturados legalmente em águas norte-americanas devem ser desembarcados com suas nadadeiras íntegras e no corpo do animal.

Hawaii – No início de 2010, o Estado do Hawaii, com o objetivo de banir a sopa de barbatana de tubarão, aprovou uma lei proibindo a posse, venda, comércio e distribuição de barbatanas de tubarão.

Califórnia – No início de 2011, o Estado da Califórnia, como fez o Hawaii, aprovou uma lei proibindo a posse, venda, comércio e distribuição de barbatanas de tubarão.

União Europeia – No início de 2011, por iniciativa da Project AWARE Foundation (ligada à PADI), o Parlamento Europeu endossou uma resolução para banir o Shark Finning, propondo a proibição da remoção das nadadeiras dos tubarões a bordo das embarcações europeias.

Washington – Em maio de 2011, a governadora do Estado de Washington (EUA) assinou uma lei proibindo o comércio de barbatanas de tubarão.

Bahamas – No início de julho de 2011, o governo das Bahamas aprovou uma lei banindo o shark finning de suas águas e proibindo o comércio e exportação de produtos de tubarão. O Arquipélago se juntou a Honduras, Maldivas e Palau, que já têm legislação semelhante.

A pesca deve ser sempre sustentável e responsável. A preservação do ecossistema marinho é vital para mantermos a natureza equilibrada e possibilitarmos um lugar melhor para se viver. Todos nós, pescadores submarinos ou não, devemos ter essa consciência e respeitar o meio ambiente.

A ESCAMA CONDENA TODAS AS FORMAS DE PESCA IRRESPONSÁVEL QUE COLOCA EM RISCO AS ESPÉCIES MARINHAS.

Aqui temos alguns links para maiores entedimentos:

Air China proíbe o transporte de barbatanas de tubarão em seus aviões

Sopa de barbatana de tubarão está com os dias contados na China

http://institutoecoacao.blogspot.com.br/2013/01/barbatanas-de-tubarao-sao-postas-para.html

http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Blog/tubaro-bom-tubaro-com-barbatanas/blog/32296/

http://www.cienciahoje.org.br/noticia/v/ler/id/4834/n/predadores_e_presas/Post_page/113

http://www.institutoaqualung.com.br/site/conteudo/Artigo.aspx?C=OE%2BwQoYRfgo%3D

 

SEJA CONSCIENTE E PRESERVE A VIDA NOS OCEANOS, SEMPRE.

BONS VENTOS,

COMENTÁRIOS

No comments yet.